HOME TLAXCALA
a rede de tradutores pela diversidade lingüística
MANIFESTO DE TLAXCALA  QUEM SOMOS ?  OS AMIGOS DE TLAXCALA   PESQUISAR 

AO SUL DA FRONTEIRA (América Latina e Caribe)
IMPÉRIO (Questões globais)
TERRA DE CANAà(Palestina, Israel, Líbano)
UMMA (Mundo árabe, Islã)
NO VENTRE DA BALEIA (Ativismo nas metrópoles imperialistas)
PAZ E GUERRA (USA, UE, OTAN)
MÃE AFRICA (Continente africano, Oceano índico)

ZONA DOS TUFÕES  (Ásia, Pacífico)
KOM K DE KALVELLIDO (Diário de um cartunista proletário)
TEMPESTADE CEREBRAL  (Cultura, Comunicação)
OS INCLASSIFICADOS 
CRÔNICAS TLAXCALTECAS 
O FICHÁRIO DE TLAXCALA  (Glossários, dicionários, fichários)
BIBLIOTECA DE AUTORES 
GALERIA 
OS ARQUIVOS DE TLAXCALA  

17/12/2017
Español Français English Deutsch Português Italiano Català
عربي Svenska فارسی Ελληνικά русски TAMAZIGHT OTHER LANGUAGES
 
Mensagem do 510° Dia

De TLAXCALA a todos: leitores, autores, tradutores e colaboradores


AUTOR:   TLAXCALA


F Em 16 de julho de 2007 TLAXCALA, a rede de tradutores para a diversidade lingüística, chegou ao seu 510º dia de existência. Ao longo dos nossos 509 primeiros dias de atividade publicamos e difundimos 3.000 artigos em 10 idiomas, traduzidos essencialmente sob nossa responsabilidade. Em cada dia, 5.000 pessoas visitam nosso sítio na Internet e muitos milhares de outras lêem nossas traduções em sítios e blogs amigos que os reproduzem.

Nossa aventura é uma experiência que, se não é única, é pelo menos rara e merece reflexão.

Dos nossos primeiros 500 dias de existência já podemos tirar algumas lições:

1.      Sim, é possível criar um meio de comunicação independente, sem capital. Também é possível criar ferramentas de comunicação, de informação e de troca que escapam ao controle de todos os grupos de poder, políticos ou financeiros. Sim, é possível atravessar fronteiras e abrir brechas em muros [sólidos].

2.      Sim, é possível levar pessoas de todas as origens, sensibilidade, idade, itinerários e experiências diversas a cooperar entre si, estabelecendo sinergias criativas.

3.      Sim, é possível trabalhar de modo voluntário (sem retribuição financeira) e fazer, mesmo assim, um trabalho de qualidade profissional.

4.      Não, nós não somos os melhores e ainda precisamos progredir muito. Não, nós não estamos concorrendo com ninguém.

Com que nós sonhamos?

Sonhamos com a ampliação de zonas livres no ciberespaço e no mundo material.

Sonhamos poder traduzir de e para um número crescente de línguas.

Atualmente traduzimos em uma dúzia de línguas, mas a humanidade fala 5.000. O caminho é, portanto, ainda longo antes de podermos colocar em contato os humanos que lutam pela liberdade e pela justiça, do Chile à China, de Nunavuk a Moçambique, da Groenlândia à Terra do Fogo.

         Sonhamos com um novo papel para o tradutor.

         Em Tlaxcala não somos apenas tradutores. Somos autores, militantes, detetives, jornalistas, artistas. O mais jovem dentre nós tem 22 anos. O mais velho 77. Na prática cotidiana do nosso trabalho, aprendemos sem cessar. Pouco a pouco, cada um de nós torna-se e transforma-se em polivalente, descobrindo novas informações, novos enfoques, novas técnicas e novos horizontes.

         Sonhamos em fazer escola. Acreditamos que a nossa experiência pode ser útil a numerosas coletividades humanas e movimentos de resistência por todo o mundo. Tlaxcala é uma rede de tradutores para a diversidade lingüística. Cada uma dessas palavras é importante:

         Rede: significa uma forma de democracia horizontal sem hierarquia, sem direção central, sem “alto” e “baixo”, onde cada um é livre para tomar iniciativas e associar a outros. Não há mais necessidade de dirigentes, mas simplesmente de coordenadores.

         Tradutores: cada um de nós domina pelo menos duas línguas e compreende algumas outras. Somos porta-vozes, contrabandistas, franqueadores de muralhas, agentes daquilo que José Martí chamava de “transpensar”« , construtores de pontes e de passarelas, lançadores de garrafas ao mar, emissores-receptores-difusores.

         Diversidade: Militamos pela diversidade lingüística, cultural, filosófica, política, porque estamos firmemente convencidos de que a língua única, o pensamento único, a arte única, o partido único, a fé única, matam o homem do mesmo modo como os pesticidas e os organismos geneticamente modificados matam o que vive.

Lingüística:Porque a língua é o que nos constitui como humanos.

Resumindo, Tlaxcala milita por “um mundo contendo todos os mundos”, retomando a bela expressão zapatista.

Neste 510º dia da nossa existência, pedimos a todos aqueles que lerão esta mensagem que reflitam sobre como poderão contribuir para tornar nosso projeto maior, mais forte, mais eficaz, mais útil e mais belo. Nós somos ainda jovens e temos ambições imensas e imensas necessidades.

Escrevam-nos para tlaxcala@tlaxcala.es

 

« "Creio que traduzir é transpensar... traduzir é pensar em espanhol o que alguém (os autores) pensaram em seu idioma... traduzir é estudar, analisar, aprofundar." (José Marti, combatente, poeta, jornalista e.... tradutor!)



Fonte: http://www.tlaxcala.es

Artigo original publicado a 16 de julho de 2007

Sobre o autor

Tlaxcala, a rede de tradutores pela diversidade lingüística. Este artigo pode ser reproduzido livremente na condição de que sua integridade seja respeitada, bem como a menção ao autor e à fonte.

URL deste artigo em Tlaxcala:
http://www.tlaxcala.es/pp.asp?reference=3374&lg=po

Esta tradução é para  português de

         







CRÔNICAS TLAXCALTECAS: 21/07/2007

 
 IMPRIMIR IMPRIMIR 

 ENVIAR ESTA PÁGINA ENVIAR ESTA PÁGINA

 
VOLVERVOLVER 

 tlaxcala@tlaxcala.es

HORA DE PARÍSI  16:56