HOME TLAXCALA
a rede de tradutores pela diversidade lingüística
MANIFESTO DE TLAXCALA  QUEM SOMOS ?  OS AMIGOS DE TLAXCALA   PESQUISAR 

AO SUL DA FRONTEIRA (América Latina e Caribe)
IMPÉRIO (Questões globais)
TERRA DE CANAà(Palestina, Israel, Líbano)
UMMA (Mundo árabe, Islã)
NO VENTRE DA BALEIA (Ativismo nas metrópoles imperialistas)
PAZ E GUERRA (USA, UE, OTAN)
MÃE AFRICA (Continente africano, Oceano índico)

ZONA DOS TUFÕES  (Ásia, Pacífico)
KOM K DE KALVELLIDO (Diário de um cartunista proletário)
TEMPESTADE CEREBRAL  (Cultura, Comunicação)
OS INCLASSIFICADOS 
CRÔNICAS TLAXCALTECAS 
O FICHÁRIO DE TLAXCALA  (Glossários, dicionários, fichários)
BIBLIOTECA DE AUTORES 
GALERIA 
OS ARQUIVOS DE TLAXCALA  

15/12/2017
Español Français English Deutsch Português Italiano Català
عربي Svenska فارسی Ελληνικά русски TAMAZIGHT OTHER LANGUAGES
 

Survival nomeia os dez países que mais violaram os direitos dos indígenas em 2007


AUTOR:   Rebelión

Traduzido por  Cristina Santos


No Dia Internacional dos Direitos Humanos fixado pelas Nações Unidas, Survival nomeou “os dez terríveis”: os países que encabeçam as violações dos direitos indígenas em 2007. Estes países são: Indonésia, Austrália, Canadá, Estados Unidos da América, Nova Zelândia, Botswana, Brasil, Peru, Paraguai e Malásia.

Os povos indígenas da Papuásia Ocidental enfrentam-se a uma violência atroz por parte do exército indonésio, sendo vítimas de assassinatos, detenções arbitrárias, abusos sexuais e torturas, enquanto as suas terras são exploradas pelo governo indonésio e companhias estrangeiras.

No Botswana, o governo expulsou os bosquímanos da sua terra no Kalahari Central em 2002, e continua a impedi-los de regressar a casa apesar da histórica sentença de 2006, que considerou as expulsões “ilegais e inconstitucionais”.

Os ganadeiros que ocupam as terras dos indígenas guaranis no Brasil contratam assassinos em troca de dinheiro que perseguem os indígenas. Este ano dois líderes guaranis foram assassinados e duas mulheres guaranis foram violadas em conflitos territoriais, e pelo menos 26 guaranis cometeram suicídio.

Estima-se que no Peru vivem 15 dos últimos povos indígenas isolados e todos eles estão em risco de extinção, no entanto o Governo permite às companhias petroleiras e aos cortadores de madeira ilegais ocupar as suas terras. O presidente do Peru sugeriu recentemente que estes povos não existiam.

Os ayoreo-totobiegosode do Paraguai são os últimos indígenas não contactados ao sul da bacia do rio Amazonas. No entanto, várias empresas madeireiras estão a destruir a sua floresta a uma velocidade suicida, e o Governo não faz nada para os proteger.

Na Malásia, as terras dos povos indígenas de Sarawak foram-lhes roubadas para permitir o corte de madeira, a construção de barragens e o estabelecimento de plantações de óleo de palma. O Governo disse aos seus habitantes, que são nómadas e caçadores, que não terão direitos de propriedade das suas terras enquanto não “se fixem” e comecem a cultivar.

Apesar da sua suposta condição de democracias liberais, a Austrália, o Canadá, a Nova Zelândia e os Estados Unidos da América foram os únicos países que votaram contra a Declaração dos Direitos dos Povos Indígenas das Nações Unidas, aprovada pela Assembleia Geral em Setembro de 2007. A seu favor votaram 143 países.


Fonte: http://www.rebelion.org/noticia.php?id=60472

Artigo original publicado a 14 de Dezembro de 2007.

Sobre o autor

Este artigo é para português de Bandeira do Portugal

Cristina Santos é membro de Tlaxcala, a rede de tradutores pela diversidade lingüística. Esta tradução pode ser reproduzida livremente na condição de que sua integridade seja respeitada, bem como a menção ao autor, aos tradutores, aos revisores e à fonte.

URL deste artigo em Tlaxcala:
http://www.tlaxcala.es/pp.asp?reference=4415&lg=po


OS INCLASSIFICADOS: 29/12/2007

 
 IMPRIMIR IMPRIMIR 

 ENVIAR ESTA PÁGINA ENVIAR ESTA PÁGINA

 
VOLVERVOLVER 

 tlaxcala@tlaxcala.es

HORA DE PARÍSI  5:32