HOME TLAXCALA
a rede de tradutores pela diversidade lingüística
MANIFESTO DE TLAXCALA  QUEM SOMOS ?  OS AMIGOS DE TLAXCALA   PESQUISAR 

AO SUL DA FRONTEIRA (América Latina e Caribe)
IMPÉRIO (Questões globais)
TERRA DE CANAà(Palestina, Israel, Líbano)
UMMA (Mundo árabe, Islã)
NO VENTRE DA BALEIA (Ativismo nas metrópoles imperialistas)
PAZ E GUERRA (USA, UE, OTAN)
MÃE AFRICA (Continente africano, Oceano índico)

ZONA DOS TUFÕES  (Ásia, Pacífico)
KOM K DE KALVELLIDO (Diário de um cartunista proletário)
TEMPESTADE CEREBRAL  (Cultura, Comunicação)
OS INCLASSIFICADOS 
CRÔNICAS TLAXCALTECAS 
O FICHÁRIO DE TLAXCALA  (Glossários, dicionários, fichários)
BIBLIOTECA DE AUTORES 
GALERIA 
OS ARQUIVOS DE TLAXCALA  

22/10/2017
Español Français English Deutsch Português Italiano Català
عربي Svenska فارسی Ελληνικά русски TAMAZIGHT OTHER LANGUAGES
 

Recrutar crianças: o preço da reforma no exército birmanês


AUTOR:   Min Lwin, The Irrawaddy

Traduzido por  Cristina Santos


Quando San Lin Aung, de 15 anos de idade, estava à espera do comboio, na estação ferroviária de Pyinmana, para ir para casa, um sargento do exército abordou-o e pediu-lhe um documento de identificação. Como o rapaz não o tinha, o militar mandou-o para um centro de recrutamento do exército em Mingalardon, nos arredores de Rangum. O oficial encarregado do centro recusou-se a alistá-lo, mas outro centro em Mandalay aceitou-o sem fazer perguntas.

Segundo os relatórios, no final de Abril, dois rapazes de 14 anos, Kyaw Min Thu de Dagon Sul, e um jovem de Okkalapa Norte, também foram recrutados à força para o exército. “As crianças foram ameaçadas por recrutadores do exército que lhes disseram que se não se alistassem seriam mandadas para a prisão” – disse um familiar de uma das crianças-soldados.

Actualmente, segundo o funcionário da Organização Internacional do Trabalho em Rangum, Stephen Marshall, estão a ser investigadas por esta organização onze queixas de recrutamento forçado de crianças-soldados. “Quando a investigação termina, o Governo tem o dever de me informar sobre os resultados da sua investigação e a da decisão que tomou” – disse Marshall ao The Irrawaddy.

Estima-se que cerca de 70 mil crianças-soldados estão a servir em 727 batalhões da infantaria do exército birmanês. Muitas delas são vítimas de uma prática que permite aos soldados veteranos “comprar” a sua dispensa recrutando sangue novo para o exército.

Nyunt Hlaing (nome fictício) é um oficial de 48 anos que está no exército birmanês há 25 anos. Ele quer reformar-se, mas foi-lhe dito que tinha de recrutar pelo menos cinco jovens para o substituir, sem olhar à sua idade, ou pagar cerca de 600,000 kyat (460 dólares americanos) a um centro de recrutamento.

Uma fonte próxima do Centro de Recrutamento N.º 1 de Danyingon, Mingalardon, confirmou que os militares que se querem reformar depois de servir mais de 20 anos no exército têm primeiro que alistar novos recrutas. Os recrutadores do exército procuram jovens candidatos em estacões ferroviárias e de autocarros, mercados e lugares públicos. Segundo uma fonte: “os recrutadores do exército forçam as crianças a assinar uma carta a confirmar que querem entrar para o exército de sua própria vontade e a prometer ficar no exército durante pelo menos 5 anos.”


Fonte: http://www.irrawaddy.org/article.php?art_id=9750

Artigo original publicado a 28 de Dezembro de 2007.

Sobre o autor
Este artigo é para português de
Bandeira do Portugal

Cristina Santoas é membro de Tlaxcala, a rede de tradutores pela diversidade lingüística. Esta tradução pode ser reproduzida livremente na condição de que sua integridade seja respeitada, bem como a menção ao autor, aos tradutores, aos revisores e à fonte.

URL deste artigo em Tlaxcala:
http://www.tlaxcala.es/pp.asp?reference=4421&lg=po



ZONA DOS TUFÕES : 31/12/2007

 
 IMPRIMIR IMPRIMIR 

 ENVIAR ESTA PÁGINA ENVIAR ESTA PÁGINA

 
VOLVERVOLVER 

 tlaxcala@tlaxcala.es

HORA DE PARÍSI  17:47