HOME TLAXCALA
a rede de tradutores pela diversidade lingüística
MANIFESTO DE TLAXCALA  QUEM SOMOS ?  OS AMIGOS DE TLAXCALA   PESQUISAR 

AO SUL DA FRONTEIRA (América Latina e Caribe)
IMPÉRIO (Questões globais)
TERRA DE CANAà(Palestina, Israel, Líbano)
UMMA (Mundo árabe, Islã)
NO VENTRE DA BALEIA (Ativismo nas metrópoles imperialistas)
PAZ E GUERRA (USA, UE, OTAN)
MÃE AFRICA (Continente africano, Oceano índico)

ZONA DOS TUFÕES  (Ásia, Pacífico)
KOM K DE KALVELLIDO (Diário de um cartunista proletário)
TEMPESTADE CEREBRAL  (Cultura, Comunicação)
OS INCLASSIFICADOS 
CRÔNICAS TLAXCALTECAS 
O FICHÁRIO DE TLAXCALA  (Glossários, dicionários, fichários)
BIBLIOTECA DE AUTORES 
GALERIA 
OS ARQUIVOS DE TLAXCALA  

21/10/2017
Español Français English Deutsch Português Italiano Català
عربي Svenska فارسی Ελληνικά русски TAMAZIGHT OTHER LANGUAGES
 

Quero contar ao mundo


AUTOR:  Nahida IZZAT ناهدة عزة

Traduzido por  Luz Ófona


Quero contar ao mundo uma história

sobre uma casa com uma lanterna partida

e uma boneca queimada.

Sobre um piquenique que ninguém desfrutou.

Sobre um machado que matou uma tulipa.

Uma história sobre um fogo que queimou uma trança.

Uma história sobre uma lágrima que não pôde ser derramada.

Quero contar uma história sobre uma cabra que não pôde ser ordenhada.

Sobre uma massa que não foi ao forno.

Sobre um casamento que não foi celebrado

e uma bebé que não pôde crescer.

Sobre uma bola de futebol que não foi pontapeada.

Sobre uma pomba que não voou.

Quero contar uma história sobre uma chave que não foi usada.

Sobre uma sala de aula que ficou vazia.

Sobre um recreio que foi silenciado.


Sobre um livro que não foi lido.

Sobre uma quinta que foi cercada

e sobre a fruta que não foi apanhada.

Sobre uma mentira que não foi descoberta.

Uma história sobre uma igreja onde já não se reza

e uma mesquita que já não está de pé.

Sobre uma cultura que já não se regozija.

Quero contar uma história sobre um telhado barrento e coberto de erva.

Sobre uma pedra que fez frente a um tanque.

E sobre uma bandeira teimosa que se recusa a ser arriada.

Sobre um espírito que não pode ser derrotado.

Quero contar ao mundo uma história.

Agora acende uma vela pela Palestina.

Podes fazê-lo.
Acende uma vela… uma velinha…
Vê como a escuridão se desvanece.
Tenta!

Um raio de luz
afasta a tristeza,
as noites de escuridão,
até que o dia amanhece.

Observa.
Vês?
Todo o poder da escuridão
no mundo
não consegue apagar
o mais débil raio de luz.

Acende uma vela… uma velinha…
Observa como a escuridão se desvanece.
Podes fazê-lo.

Pst! MUNDO! Estás-me a ouvir?



Fonte: I want to tell the world

Artigo original publicado a 15-7-2008 

Este artigo é para português de


Sobre o autor

Nahida é membro de Palestinian Mothers onde este texto foi inicialmente publicado, Luz Ófona é colaboradora de Tlaxcala, a rede internacional de tradutores pela diversidade lingüística. Esta tradução pode ser reproduzida livremente na condição de que sua integridade seja respeitada, bem como a menção à autora, à tradutora e à fonte.

URL deste artigo em Tlaxcala:
http://www.tlaxcala.es/pp.asp?reference=9692&lg=po

 


TERRA DE CANAÃ: 06/01/2010

 
 IMPRIMIR IMPRIMIR 

 ENVIAR ESTA PÁGINA ENVIAR ESTA PÁGINA

 
VOLVERVOLVER 

 tlaxcala@tlaxcala.es

HORA DE PARÍSI  12:23